Roubalheira na Assembleia Legislativa do Paraná e Bicicletada

Não, definitivamente não ! Não tem como não associar as duas coisas. Depois de tantas negações, vamos ao ponto em que elas (ALEP e Bicicletada) se encontram.

Fazendo um recorte recente no tempo, volto ao episódio da empreiteira que bancava as contas do então, presidente do Senado, Renan Calheiros. No que deu aquele episódio ? Ou então, no Senado ainda, os Atos Secretos e os Fantasmas, além de várias outras “coisinhas miúdas” da gestão José Sarney, como mesmo foi “resolvido” o problema ? Ahh…mas o Arruda foi cassado ! Então me conte, quem ficou no lugar dele ?

Aqui no Paraná, Nelson Justus e Alexandre Cury, comandam e operam aquilo que, tornou-se lugar comum na administração pública brasileira. Inclusive, houve até um deputado que argumentou ser esta uma prática herdada já de outras gestões. Como se fosse a coisa mais comum do mundo a roubalheira generalizada.

A primeira vez que ouvi falar em Critical Mass, foi quando entrei no blog da Bicicletada e fui conferir qual era o lance. De imediato me identifiquei com a ideia. Chega de massa de manobra ! Tanto alienadamente votando nos Justus, Sarneys e Serras da vida; quanto, envernizados de discursos ideológicos que, no final das contas, acabam sempre servindo aos interesses desta plutocracia em que vivemos.

A Bicicletada, me corrijam se eu estiver errado, é a organização espontânea e crítica, pessoas minimamente conscientes daquilo que defendem e da transformação que almejam alcançar.

Juntando os 4 parágrafos anteriores chego à solução do problema. Para uma sociedade, cujas estruturas da administração pública, estão definitivamente condenadas pela praga da corrupção; só mesmo a mobilização e iniciativa das pessoas, Critical Mass, longe de estruturas que possam abduzir o sonho da mudança coletiva, em troca de benefícios pessoais e/ou corporativos.

Não será  pelo voto, que veremos alguma coisa mudar neste país ! Vejam os  gregos, dando lição de organização popular, lutando contra esta plutocracia transnacional que achaca e não encontra limites na hora de defender os lucros daqueles que garantem a miséria global.

Não, definitivamente não ! Não tem como participar da Bicicletada e não pensar, nos desdobramentos e significados muito maiores que ela pode estar plantando em nossas ideias.


Uma ideia sobre “Roubalheira na Assembleia Legislativa do Paraná e Bicicletada

Interaja! Se gostou ou desgostou, deixe aqui seu ponto de vista: