Fundada a Associação de Ciclistas do Alto Iguaçu

Curitiba, que na propaganda é a Capital Ecológica, no dia a dia de quem precisa se locomover já se tornou a Capital do Caos Motorizado – segundo o censo do IBGE 2010, Curitiba é a capital com maior número de veículos por habitante. O transporte coletivo que no passado já foi considerado modelo, hoje obsoleto e um dos mais caros do Brasil, atende precariamente seus usuários.

É nesta realidade que nasce a Associação de Ciclistas do Alto Iguaçu, com mais de 50 associados assinando a ata de fundação, em ato ocorrido neste domingo, dia 22 de maio, às 16 horas no Solar do Barão. Data que marca também o encerramento da exposição MOB – Arte, Bicicleta e Mobilidade.

Plá, o Cantor das Bicicletas, mais um ilustre fundador da Associação de Ciclistas do Alto Iguaçu

A Associação tem sua origem num movimento coletivo e espontâneo, a Bicicletada, dela saem seus principais idealizadores. Jaques Brand, um deles, em seu animado discurso destacou a importância da Bicicletada enquanto embrião da Associação. Já Tiago Assunção, advogado e mestre em Educação, destaca o papel cultural e de conscientização que a entidade irá desenvolver, ele que será um dos coordenadores do Núcleo de Educação. Carlos Bellotto, coordenador do Ciclovida da UFPR, pautou uma primeira grande ação: divulgar de maneira ostensiva o Artigo 58 do Código de Trânsito que determina a preferência das bicicletas em vias que não existam ciclovias ou ciclofaixas.

Vale destacar que em recente pesquisa do IPEA – Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – são apresentados dados que se referem a uma média nacional das grandes cidades, nela apenas 1,64% das pessoas utilizam a bicicleta para seus deslocamentos diários. Este número poderia ser significativamente maior se houvessem vias para bicicletas e uma cultura de respeito aos ciclistas.

Jaques Brand, um dos pioneiros do cicloativismo em Curitiba

Como destaca Jorge Brand, “a Associação tem por objetivo fomentar a Cultura da bicicleta e também servir de um canal de diálogo com o poder público da cidade”. Reforçando esta ideia, o poeta e organizador dos trâmites legais da Associação, Rodolfo Jaruga, falou da importância e significado que a entidade traz à luta por melhores condições para os ciclistas.

Na próxima sexta-feira, dia 27 às 19 horas na reitoria da UFPR, acontecerá mais uma reunião na qual será finalizado o Estatuto e também composta a diretoria. Todos os ciclistas que tiverem interesse em participar e contribuir estão convidados. Sábado (28/05) pela manhã, como em todo último sábado do mês, acontece a BICICLETADA, concentração às 10h no pátio da UFPR, de onde os ciclistas saem em passeio pelas principais ruas do centro de Curitiba.


6 ideias sobre “Fundada a Associação de Ciclistas do Alto Iguaçu

    • Neto, a Associação de Ciclistas do Alto Iguaçu (CicloIguaçu) está com site (www.cicloiguacu.org.br) por onde você pode se associar. Estamos com sede própria na Rua Pres. Faria 226 – anexo à Bicicletaria Cultural.

      Estamos realizando várias ações em prol da bicicleta e ciclomobilidade em Curitiba e RMC, convido-o a visitar-nos e caso queira contribuir, é muito bem vindo.

      Att Vinicius Brand – Secretário – CicloIguaçu

  1. Bom dia,
    Gostaria de mais informações a respeito de bicicletário.
    A associação tem um programa ou manual de como estacionar as bicicletas no centro? O que está estabelecido sobre a obrigatoriedade de bicicletários em terminais integrados de transporte coletivo, prédios públicos municipal, estadual e federal, estabelecimentos comerciais terão uma vaga de estacionamento para qual área construída, complexos comerciais tipo shopping centers e supermercados, terão uma vaga de estacionamento para qual área construída?
    Abç
    Vilson

    • Vilson, para estacionar bicicletas no centro recomendamos a Bicicletaria Cultural, nossa parceira, na Rua Pres. Faria 226 (perto da UFPR Santos Andrade), que é oficina de bikes e estacionamento de bicicletas. Alternativamente sabemos que existem estacionamentos de carro que permitem também que se estacione bicicletas. Há de se perguntar.

      Quanto a tempos mais curtos, por exemplo uma parada de até duas horas, tem os paraciclos e os postes, recomendamos que você utilize um cadeado do tipo U-Lock ou até mais de um cadeado forte, prenda as rodas se utilizar aquele tipo de roda presa com a mão (blocagem) e dependendo do lugar leve com você o banco e qualquer parte que seja fácilmente destacável da bicicleta.

      Conhecemos uma garota que deixou sua bicicleta no paraciclo da Tiradentes uma noite, esqueceu lá, e a bike estava presa com um U-Lock e uma corrente. Quando ela chegou na manhã seguinte a corrente estava cortada, mas o ladrão não conseguiu quebrar o u-lock, estava intacto.

      Foi criado um alerta de furtos e roubos de bicicleta em Curitiba, e tem um mapa que mostra as regiões mais perigosas. Hoje em dia a região do Centro e do Jardim Botânico são as que tem registrado maior número de furtos de bicicleta, e a ciclovia da Cons. Laurindo (teatro Paiol) e a ciclovia atrás do Graciosa Country Club, com maior número de roubos.

      http://www.jornalcomunicacao.ufpr.br/materia-13779.html

      Há uma lei municipal em Curitiba (lei 6.273, de 1981) que prevê 5% de todas as vagas de estacionamento para bicicletas e motocicletas, em todas as edificações. Apesar de existir essa lei, os projetos de edificações não estavam saindo com esta quantidade de vagas por não estar regulamentada. Esta lei foi regulamentada recentemente, como mostram as seguintes duas reportagens do blog Ir e Vir de Bike:

      http://www.gazetadopovo.com.br/blogs/ir-e-vir-de-bike/portaria-regulamenta-exigencia-de-vagas-para-bicicletas-em-predios-novos/

      http://www.gazetadopovo.com.br/blogs/ir-e-vir-de-bike/prefeitura-vai-regulamentar-lei-que-obriga-vagas-para-bikes-nos-predios/

      Vamos ver agora se essa lei pega. Fiquemos em cima!

      Atenciosamente,

      Vinicius Brand – Secretário – Associação de Ciclistas do Alto Iguaçu (www.cicloiguacu.org.br)

  2. Meus parabéns pela Associação, acredito em uma nova consciência com este tipo de atitudes. Tenho um sinalizador para passeios noturno com Bike, gostaria de demonstrar a vocês, como eu faço. Aguardo retorno.

Interaja! Se gostou ou desgostou, deixe aqui seu ponto de vista: