Reciclar ou não reciclar, eis a questão.

Nos últimos dez anos a mídia fala muito de meio ambiente, reciclagem e coisa e tal, mas tem certos conceitos que são colocados de forma errada à população, e como   o poder da mídia é muito forte, fica ainda mais difícil desmistificar certos conceitos, e o que ocorre com a reciclagem é um deles e nesta matéria vamos abordar o fato de nos enganarmos como ideias erradas.

A idéia de reciclagem á principio que dizer que um determinado elemento volta para o mesmo ciclo com as mesmas características e com as mesmas funções, e infelizmente a grande massa de produtos que descartamos diariamente mesmo que sejam destinados á reciclagem, na verdade não vão. Porque boa parte são plásticos e em termos técnicos a grande maioria deste material plástico não tem a mesma característica quando foi introduzida no processo na primeira vez, isso faz que esse material vai se desclassificando quanto a sua utilidade até chegar no plastico para produção de conduíte ou sacos de lixo preto, isso ocorre por sua capacidade de absorver outros elementos ao polímero base que afetam sua qualidade e também este perde sua característica principal requerida para determinado produto a ser produzido.

Vidros e metais em geral tem mais vantagem em relação a isso, alguns tipos de ligas ou vidros com tratame

nto diferenciado também pode ter problemas, mas em relação ao plastico é bem menor, o papel também tem limitações de quantas vezes pode ser reciclado ainda sim mais eficiente nestes termos que os plásticos.

Então o que esta errado em nosso mundo? O que esta errado é nos acharmos que descartável é bom e que dá emprego pro tiozinho da reciclagem e esta salvando o planeta, pelo contrário, apenas estamos aumentando a quantidade de lixo, de retrabalho, e de energia perdida em todo o processo da materia prima que se estive em um produto mais nobre e de maior qualidade e durabilidade ainda estaria na ativa, quer ver como isso é errado, imaginemos que todas as pessoas não pudessem trabalhar após trinta e cinco anos de idade e se aposentaria, tanto o numero de pessoas para realmente trabalhar seria escasso, como a quantidade de pessoas com mais de trinta e cinco anos seria imenso e sem utilidade.

Ainda bem que pensamos e podemos trabalhar até nossa vontade e saúde nos permitir, afinal trabalho não faz mal, só faz bem, mas essa analogia nos demonstra que exatamente o
Afinal amigos tudo é uma questão de pensarmos em como o comodismos que as empresas nos vendem, nos afeta seja direta ou indiretamente, local ou globalmente e que cedo ou tarde teremos que lidar com este conforto que pagamos sem realmente precisar e que descartamos sem notar.que estamos fazendo com nossos recursos naturais que qualquer espécie, devemos buscar produtos que realmente tenham qualidade e durabilidade. Aconselho a assistirem ao video da Annie Leonard “A historia das coisas” http://www.youtube.com/watch?v=7qFiGMSnNjw

Mas vamos em frente!


Uma ideia sobre “Reciclar ou não reciclar, eis a questão.

  1. Com certeza, Oscar, por melhor que seja o processo de reciclagem, ainda assim não será completamente isoentrópico. O que quero dizer é que energia e trabalho humano são necessários em todo o processo de reciclagem. Ainda mais num modelo econômico de “ciclo aberto” (como mencionado na “história das coisas”), as vezes é até mais barato o extrativismo que a reciclagem. A meu ver o problema maior está nos fetiches de poder relacionados ao consumo desnecessário – atualmente a base de nossa economia – seja com publicidade real ou travestida de informação.

Interaja! Se gostou ou desgostou, deixe aqui seu ponto de vista: