Um agradecimento que só quem pedala vai entender

001-Estrada-da-GraciosaBike shops, bicicletarias, lojas de bikes, existem muitas por aí, que fazem um bom trabalho, com um bom atendimento, que vendem bons produtos e tudo mais. Mas fazer o que o Régi da Cicles Langner têm feito, acho que são poucos, pouquíssimos. Eu particularmente, desconheço outra iniciativa como esta que passa a ser narrada abaixo.

Organizar um passeio ciclístico demanda tempo, responsabilidade e dedicação. Não é a toa que muita gente tem se profissionalizado nesta área de promoção de eventos para ciclistas. E isto é muito bom! Quanto mais opções de atividades, competições, passeios, cicloturismo, melhor.

Agora pensem em alguém que trabalha de segunda à sábado, que é o primeiro a chegar no trabalho e o último a sair, que tem família pra dar atenção e compartilhar o pouco tempo que sobra do sábado à tarde e o domingo e, ainda assim, organiza um passeio de bicicleta, onde o único custo é o valor do aluguel da Van, rateado entre os participantes, o que deu 40 reais.

Pois então, esta pessoa tem nome e sobrenome e, mais que o simples interesse profissional/comercial, tem verdadeira alegria e paixão pelo ciclismo. O Reginaldo Langner – que prefere ser chamado só de Régi, é o cara!

Assobia e chupa cana – ao mesmo tempo que troca uma câmara furada. Ele vai de carro de apoio, tira foto, faz consertos das bikes que vão dando problema pelo caminho, leva água, refrigerante e suco nas caixas de isopor, com gelo – vejam que riqueza de preocupação com os detalhes! Prepara sanduíche com queijo e presunto, compra 2 imensos pacotes de pão de queijo Mineirinho, além de muita banana, maçã e mimosa.003-Desafio-Passeio-Subida-da-Estrada-da-Graciosa

Nem soou como piada quando, numa das paradas para reabastecer e se hidratar, alguém perguntou:

-Nós viemos aqui pra comer ou pra pedalar ?

Toda esta festa fez da tarde/ começo da noite, do último sábado (13/08/2016) a alegria de outros 11 bicicleteiros que, como eu, subiram a Estrada da Graciosa na mais absurda escuridão, na qual a gente só conseguia enxergar até onde o feixe de luz da lanterna alcançava. Um céu estrelado e o barulho dos bichos no mato. Gente…isto é muito demais! Subir a Graciosa nestas condições é de causar as mais boas e indescritíveis sensações.002-Desafio-Passeio-Subida-da-Estrada-da-Graciosa

Saímos pouquinho depois das 14h30 min de frente da loja da Cicles Langner, chegamos na ponte de ferro sobre o Rio da Mãe Catira, por volta das 18 horas, isto com 3 paradas durante o caminho. Forma 65,3 km em 3 horas e meia, o que dá uma média de 18 km/h. Quer dizer, literalmente, que foi um passeio muito sossegado e que dá pra qualquer criança de 12 a 80 anos acompanhar sorrindo e conversando. Bem por isto que o Régi sempre faz o convite no Facebook e chama tod@s que tiverem interesse.

004-Desafio-Passeio-Subida-da-Estrada-da-GraciosaDizer MUITO OBRIGADO é, ao meu ver, muito pouco. Queria eu ter a habilidade de encontrar no dicionário as melhores palavras que pudessem traduzir o máximo de gratidão que não só eu, e sim todos os meus companheiros de pedalada, gostariam de manifestar ao Regi, que propiciou para nós um daqueles dias que ficarão para a memória.

Obrigado também à Jaque Langner que, generosamente compartilhou o Régi com a gente e, também a todos os cúmplices desta pedalada: Fábio Tanaka, Diego Thomaz, Helvi, Acawan, Cris Bodnar, Guilherme Hiurko, Ana Paula, Romazir


2 ideias sobre “Um agradecimento que só quem pedala vai entender

    • Pois então Jaque…Gratidão, mais do que oferecida em palavras, pra ser verdadeira, precisa vir acompanhada de atitude. Pensando assim, saiba que, sempre no que precisar, toda a família Langner, terá meu vitalício apoio e colaboração. É o mínimo que TOD@S vocês merecem!

Interaja! Se gostou ou desgostou, deixe aqui seu ponto de vista: